segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

APRESENTAÇÃO

Queridos amigos professores,
Sejam muito bem-vindos ao nosso espaço virtual!

Este blog é uma produção experimental de quatro alunas do 4o semestre do Curso de Pedagogia da Universidade Mackenzie, para a aula de Educação e Novas Tecnologias, por iniciativa com professora Doralice Inocêncio. Por meio dele, procuramos promover a interdisciplinaridade entre as áreas de Matemática e Língua Portuguesa, com atividades direcionadas aos alunos da Educação Infantil.


Buscamos mostrar que é possível ensinar conceitos matemáticos básicos de forma divertida e lúdica, com base em gêneros textuais que todas as crianças gostam de explorar: parlendas e trava-línguas.


Portanto, envolva-se neste curso conosco: amplie o seu repertório, esclareça dúvidas e contribua também com suas sugestões e experiências.


Ao final do curso, você ainda será presenteado com um lindo livro infantil, produzido por nós mesmas, que o auxiliará a colocar em prática todos os conceitos e sugestões de atividades sugeridas aqui.

Esperamos que vocês gostem!

Até as próximas páginas,

Deborah, Esther, Juliana e Selma.

MÓDULO I - O CONCEITO DE NÚMERO

Neste primeiro módulo, pretendemos esclarecer uma dúvida comum e recorrente no trabalho docente com a Matemática na Educação Infantil. Como ensinar o conceito de número para as crianças?

ATENÇÃO: É muito importante ter em mente que o conceito de número refere-se a um conhecimento lógico-matemático, que se desenvolve nas interações da criança com o ambiente e nas relações mentais que ela estabelece com o mundo.

Portanto, O CONCEITO DE NÚMERO NÃO PODE SER ENSINADO. O que cabe a nós, professores, é estimular esse desenvolvimento por meio de atividades que estejam inseridas no contexto infantil.

Que tal trabalharmos com parlendas e trava-línguas aliados à Matemática?

Você sabe o que são esses dois gêneros textuais?

As parlendas são conjuntos de palavras em forma de verso, que podem rimar ou não. Geralmente envolvem alguma brincadeira, jogo, ou movimento corporal.

Os trava-línguas brincam com o som, a forma gráfica e o significado das palavras. A sonoridade, a cadência e o ritmo dessas composições encantam adultos e crianças. O grande desafio é recitá-los sem tropeços na pronúncia das palavras.

Para familiarizar os alunos com a estrutura dos versos e com as rimas das parlendas, você pode propor que eles criem suas próprias parlendas, baseadas em outras já conhecidas. Este é um ótimo exercício e costumam surgir ótimos resultados, como este:

video

PARAFRASEANDO...

UM, maionese de atum,

DOIS, é pra comer depois,
TRÊS, e dar a um gato xadrez.
QUATRO, o sol é um astro,
CINCO, telhado de zinco.
SEIS, festa de reis,
SETE, masca chiclete.
OITO, menino afoito,
NOVE, hoje não chove.
DEZ, arraste os pés,
ONZE, no assoalho de bronze.

MÓDULO II - Parlendas e a contagem

A nossa proposta neste blog é conseguir aliar parlendas e trava-línguas no trabalho com questões matemáticas.
Será que isso é possível?

Neste segundo módulo, vamos pensar em algumas atividades práticas e interdisciplinares.
Você conhece a seguinte parlenda, certo?

A galinha do vizinho

A galinha do vizinho
Bota ovo amarelinha
Bota 1,
Bota 2,
Bota 3,
Bota 4,
Bota 5,
Bota 6,
Bota 7,
Bota 8,
Bota 9,
Bota 10

Esta é uma ótima sugestão de parlenda para trabalhar com crianças na Educação Infantil. Por meio dela, é possível exercitar algumas noções matemática, como a contagem e o aspecto cardinal dos números, levando os alunos a perceberem onde tem mais e onde tem menos.

Você pode construir um grande painel em EVA ou cartolina, e desenhar a galinha com seus ovinhos móveis. É interessante trabalhar com a possibilidade dos alunos mexerem nos ovinhos, rearranjando suas posições e estabelecendo a relação entre a quantidade de ovinhos e a sua representação numérica convencional. Além disso, eles também adoram passar as mãos sobre os ovos e contá-los um montão de vezes.


Outra sugestão interessante é a parlenda dos Indiozinhos:

1, 2, 3 indiozinhos,
4, 5, 6 indiozinhos,
7, 8, 9 indiozinhos,
10 num pequeno bote...

Podemos cantar a música, sinalizando com os dedos o número de indiozinhos citados.

Outro painel de EVA pode ser montado, dessa vez com um grande bote. Alguns indiozinhos serão colocados e retirados, de modo a incentivar a contagem e a sobrecontagem por parte das crianças. O professor pode interferir com perguntas do tipo:

- Se colocarmos mais um indiozinho, quantos teremos no bote?


- Têm dois índios no bote. Três indiozinhos resolveram entrar no bote. Quantos indiozinhos têm agora?


- No bote temos 3 indiozinhos e no rio encontramos 7. Onde há mais indiozinhos? Quantos a mais?


A partir daí, o professor pode começar a estabelecer relações entre o que havia antes e o que há agora, trabalhando com noções de comparação e transformação: quantos tinham, quantos entraram ou saíram e quantos ficaram, sempre incentivando as relações de quantidade.

O trabalho com este tipo de atividade é muito importante, pois os alunos costumam ter a questão da ordinalidade mais desenvolvida do que a cardinalidade nessa fase. Portanto, cabe a nós educadores, propor atividades que permitam às crianças estabelecerem relação entre os aspectos cardinais e ordinais dos números. Para que se desenvolva a noção de cardinalidade é preciso que trabalhemos com situações em que elas possam perceber quanidades, quantos a mais, quantos a menos, etc.

video

MÓDULO III - Parlendas e agrupamentos

Neste terceiro módulo, vamos tratar da questão dos agrupamentos.

Porque é tão importante incentivar o trabalho com agrupamento em sala de aula?


Por meio dos agrupamentos a criança pode avançar nos seus conhecimentos sobre o Sistema de Numeração Decimal. Elas começam agrupando elementos de 2 em 2, de 3 em 3 até perceberem que agrupar de 10 em 10 facilita a contagem.


O material dourado é uma importante ferramenta para que a criança perceba a regularidade de base 10 do Sistema de Numeração. Ela poderá visualizar os agrupamentos e o que é mais importante: perceberá que pode decompor os números em base 10, conseguindo chegar ao resultado de problemas com maior facilidade.


Assim, incentivar atividades que envolvam agrupar e decompor auxilia as crianças a avançarem no entendimento das regularidades do Sistema Numérico e também permite que se construam argumentos de ordem cardinal.


Uma boa sugestão para trabalhar com agrupamentos é utilizar elementos presentes em parlendas conhecidas pelas crianças. Veja a proposta abaixo:


SALADA DE FRUTAS

Poesia, casa e Companhia


JÁ COMEU A SALADA DE FRUTAS DA ANINHA?

NÃO?

SAIBA QUE ELA É DELICIOSA!!!

TEM MANGA ROSA AMARELINHA...

TEM MAÇÃ VERDE, MAS MADURINHA.

BANANA PRATA, MAS BEM MOLINHA.

LARANJA-LIMA DOCE FEITO MEL.

ABACATE MACIINHO, E UVAS BEM FRESQUINHAS!

HUM... É UMA DELÍCIA.

A SALADA DA ANINHA!

COM SORVETE ENTÃO, QUE COISA LOUCA!

JÁ ESTOU COM ÁGUA NA BOCA,

VOCÊ NÃO?


A partir dessa parlenda, escolha uma das frutas citadas para trabalhar com os agrupamentos.


Por exemplo: apresente um cacho de uvas aos alunos e questione quantas uvas há no cacho? Primeiro, permita que eles contem do jeito que quiserem: de 1 em 1, de 2 em 2, etc, deixe que cada um chegue ao resultado aproximado do jeito que quiser. Depois, interfira, de modo a fazê-los perceber que é muito mais fácil contar de 10 em 10, já que há muitas uvas no cacho e formar grupos de 10 facilita e agiliza a contagem.


Tente refazer essa atividade com base em outras parlendas, agrupando seus elementos de 10 e 10 e veja como é divertido...

MÓDULO IV - O trabalho com trava-línguas

Neste último módulo, sugerimos alguns trava-línguas que podem ser utilizados no trabalho com a Matemática na Educação Infantil. Além de serem muito divertidos e adorados pelas crianças, são muito úteis e interessantes para serem utilizados em todos os contextos.

Observe as sugestões a seguir e tente adaptar outros trava-línguas a novas propostas matemáticas.

“Um prato de trigo para um tigre triste,

Dois pratos de trigo para dois tigres tristes,

Três pratos de trigo para três tigres tristes...”


Com esse trava-língua é possível trabalhar com a questão da correspondência, 1 prato para 1 tigre, 2 pratos para 2 tigres, e assim por diante, estabelecendo relação entre as quantidades e a grafia convencional dos números.

“Bote a bota no bote e tire o pote do bote”

Após repetir com os alunos esse trava-língua algumas vezes, questione:

- Quantas botas foram colocadas do bote?
- Quantos potes foram retirados do bote?

A resposta varia e depende do números de vezes que vocês recitarem o trava-língua juntos. É um ótimo exercício e também auxilia as crianças na questão da contagem de quantidades.

AGORA É A SUA VEZ!!

Tente você também: crie e sugira as suas próprias atividades matemáticas a partir dos trava-línguas que você conhece.

Quanto mais o professor trabalhar com trava-línguas em sala de aula, propondo aos alunos que brinquem em grupo por um tempo e permitindo que eles se familiarizarem com o texto, mais os alunos se divertirão, ao mesmo tempo em que vão memorizando as frases (repertório), o que também poderá ser muito útil para a alfabetização.

video